Clima frio e exercício físico

O inverno mais uma vez vem se aproximando e os cuidados com o clima frio não podem ser esquecidos. Algumas observações e possíveis modificações no treinamento físico podem e devem ser realizadas para um bom desempenho do atleta. Certas pessoas leigas no assunto poderiam até perguntar se não seria um absurdo treinar em dias muito frios, contudo, levando-se em consideração alguns aspectos específicos do ambiente que o atleta irá treinar, não haveria maiores problemas para o mesmo.

O clima de inverno representa um risco para a saúde menos imediato que o verão para as pessoas sadias em termos de exercício. Muitas pessoas evitam totalmente o frio exercitando-se em ambientes fechados durante o inverno, porém aquelas que decidem continuar com o exercício ao ar livre não costumam correr um grande risco, pois o exercício faz com que o corpo gere grandes quantidades de calor. Nosso organismo possui mais de 400 músculos, os quais possuem a função de gerar calor para a pessoa através do tremor muscular, entre outras funções.

Um cuidado importante que os atletas devem tomar durante treinamento físico no frio é uma exposição prolongada em tal ambiente, evitando a hipotermia. Contudo, a produção de calor corporal durante um exercício físico de moderado a extenuante é suficientemente alta para prevenir a hipotermia.

Se a roupa torna-se úmida em virtude de suor ou de chuva seu valor isolante fica comprometido e a umidade da pele facilita a perda de calor por condução, convecção e evaporação, portanto o risco de hipotermia pode ser drasticamente aumentado, em especial quando o exercício é encerrado e declina a produção de calor metabólico.

Durante a imersão em água, a transferência de calor por condução e convecção pode ser 70 vezes maior que no ar com a mesma temperatura, dependendo da profundidade da água e da quantidade de superfície corporal imersa. Assim sendo, até mesmo quando as temperaturas da água são relativamente confortáveis (por exemplo 25 a 27 C), os nadadores de longa distância e os triatletas podem perder quantidades consideráveis de calor corporal.

Durante a realização de um treinamento físico em um dia muito frio, o atleta deve levar em consideração alguns aspectos, são eles: antes do alongamento, realizar uma caminhada em ritmo leve a moderado e com movimentação de braços e pernas em vários sentidos por aproximadamente 5 a 10 minutos; após a realização do alongamento e aquecimento, incluir um período inicial na sua corrida com o desenvolvimento de um ritmo um pouco mais leve que nos dias quentes, pois o organismo terá um processo mais gradativo de aquecimento e preparação para o ritmo ideal de corrida do dia; não se esquecer da hidratação adequada, pois, em dias quentes fica mais fácil de perceber a necessidade de ingerir líquidos durante a corrida, contudo, durante o frio, a temperatura baixa e o vento podem enganar o corredor; o atleta também deve tomar muito cuidado após o treino, pois sua temperatura abaixará rapidamente e não seria ideal estar vestindo ainda a sua roupa úmida do treino; o alongamento pós-treino também é muito importante para evitar contraturas e lesões nos treinos seguintes, contudo, é recomendado que o mesmo seja realizado com o corpo ainda aquecido da corrida.

Através dessas medidas, o atleta poderá continuar realizando seu treinamento físico de forma saudável e equilibrada e, principalmente, respeitando as características de seu organismo e do meio ambiente no qual está treinando.

Prof. Dr. Newton Nunes

– Prof. dos cursos de pós-graduação da UGF

– Doutor em Biodinâmica do Movimento Humano pela USP